ouvir e ser ouvido




"é fácil você falar isso pois não esta dentro do problema... não é com você!"........ Essa frase é tão comum ouvirmos ou mesmo falarmos, quando somos tão enfáticos nos problemas alheios.
Seja no âmbito emocional que descrevemos o que deveriam fazer com uma mestria nunca usada em nossos próprios causos ou em momentos gerais da vida, que assistir é muito mais fácil que vivenciar.
Somos psicólogos para alguns amigos e delegados querendo prender para outros. Em alguns casos tecemos com uma paciência de santo e outros tiramos quase que a tapas as idéias que ouvimos das pessoas que relatam seus sentimentos.
Parto do principio que se a intenção sempre for ajudar a pessoa que relata os seus problemas , podemos sim pecar por colocar o nosso sentimento a frente da situação para ajudar um amigo.
Imagino que é como um profissional da psicologia, que deve ouvir o seu paciente e administrar as suas considerações conforme o seu principio de entendimento. Porém quando é sobre o nosso próprio destino, esse sentido e fator de decisão, apenas corre para alguém que nos ouça e nos faça ver o que deveríamos fazer. E não nos acostumarmos apenas a viver num mundo de lamentações.