Psicanálise


Estive recentemente num congresso de psicanálise , não como participante , mas como um curioso entre os seus livros expostos. E claro sai pensando como seria dificil me relacionar com um doutor desta área.

Muito dos nossos pensamentos, sentimentos e modos de vida, são de linhas psicológicas escritas em livros, como Freud e outros. Seja na psicanálise ou até apenas num simples bate papo com alguém sobre coisas relacionadas a nossa vida e de outros.

Porém mesmo, como a coletividade já é base de estudos desde que o mundo é mundo, me incomoda talvez ser interpretado e a partir de um livro ou estudo, ser guiado ou mesmo induzido.

Ou seja, veria um relacionamento com alguém doutorado na psicanálise como uma forma de estar sendo testado e muito transparente.

Não estou conseguindo me expressar, mas volto nas nossas interpretações sobre as coisas, atos, pensamentos e pessoas. Achamos que é amor, mas as vezes é ódio... achamos que é admiração e as vezes é inveja. Helooo... everybody, atire a primeira pedra alguém que mesmo sem querer e sem maldade sentiu que o outro mereceu e você não...

Isso não é pecado, segundo nossos pais e avós, mas é um sentimento de fraqueza que somos suscetíveis a ter sim.

Por isto se temos estes altos e baixos sobre o que achamos e pensamos, podemos sim, ser manipulados de alguma forma a entender que sempre estamos errados. E insisto que ninguém está tão certo assim, ao ponto de criticar ou culpar o outro, por estar certo ou errado.

O tamanho do problema é baseado na sua força do momento. Se você estiver forte e feliz, não ligará de ver o seu ou a sua ex atravessando a rua ao lado da pessoa do momento. Pelo contrário, você irá acenar e mostrar que você está mais feliz que antes. Agora se você tiver se sentindo um patinho feio , irá se esconder atrás de uma árvore que sequer consegue esconder a sua sombra.

Mas sem críticas e nem conceitos prévios quanto aos doutores do assunto psicólogico. Só levanto este assunto aqui pela experiência que tive nesta passagem pelo congresso.