relationship again...


Somos importantes executivos, milionários empresários, pessoas maduras, psicólogos ou qualquer outra coisa, mas quando falamos ou vivemos um relacionamento... esqueçamos tudo. Sim, sejamos nós mesmos sempre, porém mantendo aquela criança que nos deixa viajar e nos jogar mais nas coisas que somos guiados pelo coração.

Ouvi uma vez que se temos um lado criança, acabamos liberando inúmeras coisas e nos faz ir muito mais a frente pelas coisas que desejamos. Pois uma criança se joga mais porque mal teve um passado de referência e nem sabe sequer do que se trata um futuro.

Sim, porque insisto que quanto mais informações que agregamos e possuímos, menor é a nossa paciência para novas experiências de vida. Principalmente quando temos o hábito da comparação do antes, durante e depois com outra pessoa. Começar de novo com uma idéia de duas novas pessoas ali dando o primeiro passo. Falar de outros amores? Pode ser, depois do décimo ano de relacionamento... rs. Ter estes antigos ao nosso lado, somente se for para levar as crianças ao colégio como bons pais ou mães. Pois a insegurança existe sim para ambos os lados. E se existe alguém menos inseguro é que a outra parte esta fazendo o seu papel muito bem.

Elogie sim quando tem vontade. Diga um milhão de vezes se necessário o quanto gosta do seu parceiro, pois muita gente necessita de uma atenção a mais. E isto não é pelo que lhe é apresentado agora, mas de uma vida já com histórias.

Quando me perguntam com que resto de um último relacionamento, respondo que a vontade de ter outro.